08/10/2019 – GOIÁS – ONG Refúgio Brasil vai apoiar refugiados em Goiânia

Com sede em Mogi das Cruzes (SP), a organização não-governamental dirigida por imigrante palestina vai instalar-se na capital goiana para dar apoio a quase mil refugiados

Edjer James

A organização não-governamental Refúgio Brasil vai instalar-se em Goiânia com o objetivo de prestar apoio aos cerca de mil refugiados que chegaram à capital goiana nos últimos anos e que estão em dificuldades, dentre eles venezuelanos e haitianos. A ONG de Mogi das Cruzes (SP) é presidida pela imigrante palestina Faysa Daoud e tem como diretor executivo Everton Lopes. Os dois estarão em Goiânia nos dias 08, 09 e 10/10 para visitas e reuniões. Além da capital, a ONG tem agenda nas cidades de Anápolis e Trindade.

O paulista Everton Lopes, economista, psicanalista, trabalha com a ajuda humanitária desde 2002. É fundador da organização Missão AME no Nordeste do país, trabalhando na seca do sertão. Desenvolveu atividades humanitárias com tribos indígenas do norte e quilombolas. As ações de ajuda humanitária começaram quando residia na Áustria, com refugiados do Afeganistão. Atuou em 40 países no Leste europeu, no Norte da África e Ásia em algumas catástrofes como terremotos e tsunamis. Realizou projetos com refugiados na guerra civil do Egito, na separação do Sudão, na guerra no Iraque e, este ano, no Sul do Líbano.

O diretor executivo da ONG Refúgio Brasil também é diretor executivo da ONG Missão Amar Sem Fronteiras (Masf), que tem sede em Goiânia e ajuda as comunidades carentes da cidade. Everton Lopes afirma que o propósito da Refúgio Brasil é estabelecer um escritório também em Goiânia, onde possa avançar mais nas ações específicas com refugiados no estado de Goiás. “O foco é sempre proporcionar uma qualidade de vida, e às vezes garantir a própria vida, para essas pessoas que tanto sofrem. Alguns se tornam refugiados outros são ajudados nos próprios locais, porque não conseguem nem sair. Nós tentamos viabilizar essas possibilidades para que eles vivam ou sobrevivam melhor ou, pelo menos, as crianças e jovens tenham a esperança de um futuro um pouco melhor também”, enfatiza.

De acordo com a MASF, em Goiás existem pelo menos 15 mil imigrantes e cerca de mil refugiados em Goiânia, que chegaram na cidade nos últimos dois anos, principalmente haitianos e venezuelanos. Essas pessoas enfrentam sérios problemas por causa da documentação, da barreira da língua e dificuldades em conseguir empregos.

Refúgio Brasil

A ONG Refúgio Brasil foi criada há 12 anos quando Mogi das Cruzes começou a receber o primeiro grupo de refugiados do Iraque. Hoje a organização conta com mais de 800 refugiados cadastrados. A presidente Faysa Daoud é palestina, nascida na Jordânia e imigrou para o Brasil aos 17 anos. Há 38 anos mora na cidade do interior de São Paulo, onde atende famílias de refugiados cadastradas na entidade.

Além dessas pessoas que vieram do Egito, África, Haiti, Arábia, Iraque e Síria para Mogi das Cruzes, a entidade também atende outras famílias que vivem em São Paulo capital. Os imigrantes têm várias nacionalidades, como sírios, egípcios, palestinos, africanos e haitianos. O atendimento consiste na ajuda para obtenção do refúgio e apoio durante a adaptação com a nova língua e costumes.

Agenda

08/10

20h: reunião (jantar) com o presidente da Associação dos Policiais e Bombeiros Militares, Coronel Aparecido Correia de Almeida (coordenador do Movimento Ordem e Progresso),

09/10

08h30: reunião com a coordenadora do Núcleo de Direitos Humanos (NUDH) da Defensoria Pública do Estado de Goiás, defensora pública Fernanda da Silva Rodrigues Fernandes, na sede do NUDH, Av. Cora Coralina, nº 55, Setor Sul;

10h: reunião às reunião com empresária da construção civil no escritório da Refúgio Brasil e Masf, na Rua José Dias, Qd 34 Lt 01, na Cidade Jardim.

14h: visita à Mesquita de Anápolis.

16h30: reunião com o padre Rafael Javier Magul, da Igreja Católica Ortodoxa na Igreja Ortodoxa São Nicolau, na Avenida República do Líbano, nº1457,no Setor Oeste.

10/10

08h: visita à comunidade árabe em Trindade;

10h: reunião com vereadores na Câmara Municipal de Goiânia.

ONG Refúgio Brasil