09/01/2018 – GOIÁS – “Governo de Goiás fez da crise nacional do sistema prisional exemplo de como trazer soluções para o setor”, diz ministra Cármen Lúcia

Formosa, 9 de fevereiro de 2018 – Goiás aproveitou um momento de adversidade para fazer seu sistema prisional avançar. A ministra do Supremo Tribunal Federal (STF), Cármen Lúcia, presidente do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), enalteceu o empenho conjunto com o governo de Goiás para melhorias do sistema penitenciário e de segurança, no sentido de executar o que determina Constituição Federal, quanto ao cumprimento da pena, mas em condições de dignidade. “Somos pagos pelos cidadãos para fazer, e temos que fazer”, assinalou.

Gabinete de Imprensa do Governador de Goiás

“Neste caso de Goiás, os Poderes funcionaram muito bem”, disse, acrescentando que os fatos que ocorreram no sistema prisional de Aparecida de Goiânia invocaram “providência rápidas e a contento”. Cármen Lúcia afirmou que os brasileiros esperam voltar a acreditar nas instituições. Para ela, “todo ser humano erra e pode errar contra a lei”. Por isso, quando julgado e sentenciado, tem direito a uma prisão digna para cumprimento de sua pena, com segurança e respeito à sua integridade. “O sistema penitenciário deve ser repensado”, disse, para a garantia fundamental dos direitos “daqueles que erram”.

Assinalou que é importante que as instituições tenham condições para desenvolver suas ações, visando garantir que cidades como Formosa sejam uma “formosura”. Citando o compositor Gilberto Gil, Cármen Lúcia concluiu sua fala dizendo: “Andar com fé eu vou, porque a fé não costuma faiá”.