13/04/2018 – GOIÁS – “Goiás tem capacidade de pagamento e pode contratar novas operações de crédito”, diz presidente da Caixa

► Em reunião com governador José Eliton em Brasília, Nelson Antônio de Souza afirmou que gestão fiscal responsável garante capacidade do Estado de captar recursos para fazer investimentos
► Dívida consolidada líquida do Governo de Goiás atingiu o menor nível em 20 anos, resultado da gestão fiscal responsável e das medidas de austeridade adotadas pela administração estadual

Gabinete de Imprensa do Governador de Goiás

Brasília (DF), 13 de abril de 2018 – O presidente da Caixa Econômica Federal, Nelson Antônio de Sousa, disse nesta sexta-feira (13/4), em reunião de trabalho com o governador José Eliton, que, graças à gestão fiscal responsável de suas contas públicas, Goiás “tem capacidade de pagamento e de captar novas operações de crédito”. “O Estado tem rating no Banco Central, tem capacidade de pagamento, capacidade de endividamento, então agora é tocar essas operações e nós deveremos contratá-las, mediante a autorização”, afirmou o presidente do banco público, durante audiência com o governador em que trataram de dois financiamentos, no valor total de R$ 604 milhões.

Segundo o presidente da Caixa, graças à condição de Estado adimplente, que mantém sua capacidade de endividamento, o Estado de Goiás está apto a contrair duas operações de crédito reivindicadas pelo Governo para implementar obras nas áreas de saneamento básico e infraestrutura. As operações são para a extensão de rede de água em Aparecida de Goiânia, relativa aos R$ 94 milhões, e a outra, relativa aos R$ 510 milhões,são para construção e reconstrução de rodovias. Os investimentos serão realizados por meio do Goiás na Frente.

Dados da Secretaria de Estado da Fazenda (Sefaz) mostram que, em 2017, a dívida consolidada líquida do Governo de Goiás atingiu o menor nível em 20 anos, resultado da gestão fiscal responsável e das medidas de austeridade durante as gestões de Marconi Perillo e José Eliton. Em 1997, o Estado precisava de 3,52 orçamentos anuais para para a dívida, diante de 0,92 registrados no ano passado. “Goiás tem capacidade de endividamento e autorização da Secretaria do Tesouro Nacional (STN) para contratar operações de crédito”, disse o secretário da Fazenda, Manoel Xavier, que participou da reunião entre José Eliton e o presidente da Caixa.

“O Estado de Goiás tem capacidade de endividamento. O que nós vamos fazer é tocar operacionalmente essas operações e logo em seguida, assim que tivermos autorização dos órgãos competentes, contratá-las”, reafirmou o dirigente da CEF. José Eliton adiantou que a operação de crédito de R$ 94 milhões já está em andamento. “Estamos nos últimos detalhes para que a Saneago possa utilizar o crédito investindo nas obras de saneamento básico”, informou.

O governador disse também que está em andamento a discussão de uma outra operação junto a CEF que envolve a transposição do rio Verdinho para ampliação do sistema de abastecimento de água de Rio Verde. “São obras novas que podem ser realizadas através de operações que o Estado de Goiás tem condição de contrair em função do cumprimento das metas estabelecidas no ajuste fiscal”, sublinhou.

A visita ao presidente da CEF serviu ainda para que o governador apresentasse parte da nova equipe econômica do governo. “Viemos aqui para reforçar nosso compromisso de manter e ampliar essa parceria dado os ótimos resultados que temos observado em favor da população atendida pela CEF e aproveitamos para apresentar nossa equipe econômica ao presidente Nelson”, reiterou.

O presidente da CEF disse que, para a instituição, “é um prazer ter o governo do Estrado de Goiás como o nosso maior e melhor cliente”. Lembrou que ao assumir a presidência da instituição, o primeiro Estado que visitou foi Goiás. “Exatamente para demonstrar nosso apreço ao Estado”, acrescentou.

No início deste mês, o presidente da Caixa Econômica Federal esteve em Goiânia para participar da entrega da ultima fase do Residencial Nelson Mandela, beneficiando 576 famílias, construído através de parceria com a Agehab. “O Governo do Estado de Goiás e o povo de Goiás são uma prioridade para a CEF”, declarou.

Acompanharam o governador na audiência com a presidência da CEF, o secretário da Fazenda, Manoel Xavier, a superintendente regional da CEF em Goiás, Marise Fernandes e o Superintendente Executivo da Dívida Pública da Sefaz, Silvio Vieira Luz.