14/02/2020-Goiás-indifisco-GO recebe apoio diante da postura da secretária da Economia

Affego e Movimento Mais Auditores Goiás endossam comportamento dos auditores fiscais diante da postura deselegante da titular da pasta com pedido de progressão de carreira feito pela categoria

O Sindicato dos Funcionários do Fisco do Estado de Goiás (Sindifisco-GO) recebe o apoio público do Movimento Mais Auditores Goiás diante da postura deselegante da secretária da Economia, Cristiane Schmidt, na quarta-feira, 29 de janeiro, em reunião com os delegados regionais e gerentes da Receita Estadual. Na ocasião, após solicitação dos presentes para que avaliasse a possibilidade de sanar algumas das demandas e carências da categoria, a titular da pasta fazendária disse em tom de descaso que se algum auditor estivesse insatisfeito, que pedisse demissão e fosse trabalhar na iniciativa privada, onde, com a qualificação que têm, receberiam remuneração muito menor do que a que recebem no Estado.

O deputado estadual delegado Eduardo Prado (PV) marcou presença na abertura da reunião do Conselho Sindical do Sindicato dos Funcionários do Fisco do Estado de Goiás (Sindifisco-GO), realizada na tarde da última sexta-feira (07/02) na sala de reuniões da Associação dos Funcionários do Fisco do Estado de Goiás (Affego). O parlamentar disse estar à disposição da categoria, dando continuidade, em 2020, ao seu trabalho na Assembleia Legislativa, patrocinando as causas em favor do Fisco e dos auditores fiscais.

Eduardo Prado alertou os delegados sindicais sobre o grande risco que correm os servidores públicos diante das medidas que os governos federal e estadual devem promover, no sentido de reduzir direitos do funcionalismo público.

Também endossa o posicionamento da categoria a Associação dos Funcionários do Fisco do Estado de Goiás (Affego), que reitera que a titular da pasta teve um comportamento indigno, longe do que se espera de um agente político diante de suas preocupações do seu staff.

Confira a nota de apoio do Movimento Mais Auditores Goiás:

“Os aprovados no concurso de Auditor Fiscal da Receita Estadual, realizado em 2018, da Secretaria da Economia do estado de Goiás vêm por meio deste demonstrar apoio às iniciativas que o Sindifisco-GO está realizando no intuito de valorização da categoria.

Por trás da prestação dos serviços públicos exigidos pela sociedade e necessários para manutenção do Estado, está o Auditor Fiscal, que, como carreira típica de estado que é, merece respeito e valorização.

Não só os exímios servidores ativos do fisco sofrem com o desejo de desvalorização da carreira por parte de alguns membros do governo. Nós já sentimos na pele o descaso, de quem está à frente categoria, perante nossos desejos e sonhos de contribuir para o fortalecimento e recuperação fiscal do estado de Goiás.

Para passar em um concurso de grande expressão e relevância quanto o de Auditor Fiscal, os aprovados precisaram abdicar do convívio com amigos e família para enfrentar os anos de estudo necessários. Muitos dos futuros servidores vêm de fora do estado e decidiram sair de perto do convívio familiar em busca de um sonho, que, infelizmente, vem sendo menosprezado por alguns.

Escutar frases como “vocês deveriam procurar emprego na iniciativa privada”, “estudar para esse concurso foi uma decisão errada de vocês” nos deixou muito tristes e desapontados, mas, como resposta, nós dizemos: Não! Nós não tomamos a decisão errada. Temos um sonho de servir a sociedade e contribuir para o crescimento de Goiás e do Brasil e não aceitaremos que alguém diga o contrário.

Para se tornar Auditor Fiscal são necessários conhecimentos em diversas áreas como direito, auditoria, contabilidade, economia, etc. Sabemos que temos plena condição de contribuir para ajustar a situação fiscal do estado e, junto dos demais servidores que integram a Secretaria de Economia, temos que ser valorizados. Investir no fisco nunca será despesa.”

Movimento Mais Auditores Goiás

O Movimento Mais Auditores Goiás é formado pelos 120 aprovados no concurso da então Secretaria da Fazenda de Goiás, hoje Secretaria da Economia do Estado de Goiás, em setembro de 2018, com validade de dois anos. O governo estadual decidiu que não vai convocar nenhum dos aprovados.