14/09/2020-Goiás-Prejuízo anual com vandalismo poderia bancar construção de quase 5 grandes praças

Todos os meses, o município tem que gastar cerca de R$ 70 mil para reparar estragos intencionais em praças, parques, jardins e repartições públicas de Aparecida

Quando alguém quebra por querer um banco numa praça pública ou furta um aparelho da academia da terceira idade, o prejuízo da depredação fica para todos os moradores. Por isso que o poder público busca sempre conscientizar a população para ajudar a preservar as praças, parques e outros espaços públicos. E não é diferente em Aparecida.

Segundo a Secretaria de Desenvolvimento Urbano (SDU), todos os meses o município tem que reparar estragos feitos intencionalmente em pelo menos 15 praças da cidade. São depredações como quebra de brinquedos dos playgrounds e aparelhos das academias abertas, furtos de plantas e placas de grama e pichações.

Num dos casos de vandalismo mais recentes, a estátua do diplomata brasileiro Oswaldo Aranha na Praça Israel, no Parque Trindade, foi pichada de cima a baixo e ainda teve o chapéu furtado. O ato criminoso acabou comprometendo a estética do monumento, que celebra a amizade entre os povos de Israel e do Brasil, especificamente de Aparecida de Goiânia.

“É importante ressaltar que os bens públicos não pertencem à Prefeitura de Aparecida. Eles são da população, ou seja, do coletivo, e por isso têm que ser preservados por todos”, comenta o secretário de Desenvolvimento Urbano, Max Menezes.

Todos os meses, a Prefeitura de Aparecida acaba tendo que gastar cerca de R$ 70 mil para reparar espaços públicos depredados. Esse valor envolve custos com reposição de peças, deslocamento de veículos, manutenções, terceirização de serviços – conforme o caso – e horas de serviço que poderiam ser empregadas para criar novas praças.

Max argumenta que, se houvesse mais conscientização e cuidado com os equipamentos públicos, o valor economizado com os reparos em um ano (R$ 840 mil) poderia ser revertido para construir, por exemplo, quase cinco praças no padrão da Praça João Claudino da Silva, no setor Rio das Pedras.

Inaugurada em dezembro do ano passado, a praça recebeu investimento de R$ 180 mil para implantação de mais de 1.800 metros quadrados (m²) de área construída, com pista de caminhada, academia aberta, iluminação, pergolados, bancos em concreto, projeto paisagístico e playground.

A Praça João Claudino da Silva é um dos quase 100 equipamentos públicos do tipo que a Prefeitura de Aparecida entregou à população nos últimos anos, em toda a cidade, visando melhorar da qualidade de vida dos moradores. As praças proporcionam condições tanto para o lazer como para a prática de atividades esportivas, vez que muitas delas contam também com campos de futebol society, como a nova praça do setor Expansul.

Vigilância 24 horas

Aparecida de Goiânia tem aproximadamente 700 espaços públicos geridos pela Prefeitura. Todos eles são vigiados 24 horas por dia por equipes da Guarda Civil Municipal (GCM), que se dividem em 17 viaturas para fazer rondas pela cidade.

O comandante da GCM, Weber Júnior, informa que qualquer movimento suspeito em torno de praças, parques, jardins, quadras e repartições públicas pode ser denunciado à Guarda Civil pelos telefones 153 e 3545-5901. “Esses canais estão abertos aos vizinhos e amigos de Aparecida. A qualquer suspeita de vandalismo, nossas viaturas se deslocam para o local imediatamente”, acrescenta o comandante da Guarda Civil.

As pessoas flagradas pela Guarda Civil Municipal em atos de vandalismo ou furtando equipamentos públicos são encaminhadas à polícia, que toma as providências cabíveis.

Além do trabalho realizado nas ruas para coibir a depredação de espaços públicos, a GCM atua preventivamente no monitoramento eletrônico do patrimônio da cidade. Com as 650 câmeras de alta resolução do projeto Cidade Inteligente, que são operadas no Centro de Inteligência Tecnológica (CIT), a Guarda Civil tem condições de monitorar atitudes suspeitas e surpreender os infratores antes que as depredações aconteçam.

Parceria com os moradores

Para estimular os moradores a cuidar dos espaços públicos e denunciar atos suspeitos à GCM, a Secretaria de Mobilidade e Defesa Social, à qual está vinculada a Guarda Civil, lançou recentemente dois projetos de conservação do patrimônio. São as iniciativas Você de olho no patrimônio público e Praça mais segura.

O secretário de Mobilidade e Defesa Social, Roberto Cândido, explica que a GCM executa os dois projetos com o intuito também de aproximar o cidadão com a administração municipal, estabelecendo um elo de confiança nos cuidados com a cidade no dia a dia.

Cândido conclui que “quem mais conhece a realidade do seu bairro, claro, é o morador. Por isso, a construção dessas pontes entre a população e a Guarda Civil Municipal é muito importante no sentido de prevenir o vandalismo e outros atos que possam ameaçar a segurança da comunidade em geral”.

: link com entrevista com o secretário de Desenvolvimento Urbano, Max Menezes – https://we.tl/t-MSLhVzzLN3

: link com cenas da Praça de Israel com vandalismos na escultura do embaixador Oswaldo Aranha e fotos de algumas praças vandalizadas – https://we.tl/t-IC7o2LHhAZ

DANIELA RIBEIRO

Superintendente de Jornalismo

RAFAEL FREITAS

Coordenador de Jornalismo