15/08/2019 – GOIÁS – Prefeitura de Goiânia executa obras de drenagem no Córrego Vaca Brava

Obras fazem parte do projeto de implantação do Corredor da T-7 e tem previsão para serem concluídas em 90 dias

Prefeitura de Goiânia

A Prefeitura de Goiânia, por meio da Secretaria Municipal de Infraestrutura e Serviços Públicos (Seinfra), iniciou a execução das obras de drenagem no Córrego Vaca Brava, no setor Jardim América. Nessa primeira fase, estão sendo construídos o gabião caixa para contenção e controle de erosão, o poço de visita (PV), para diminuir a velocidade da água que sai da tubulação e a instalação de tubos de concreto para escoamento das águas pluviais. Na próxima fase, serão confeccionados cerca de 20 metros de muro de contenção em gabião, nas laterais do córrego.

Segundo o titular da Seinfra, Dolzonan da Cunha Mattos, as obras de drenagem vão evitar futuros alagamentos e assoreamentos, que possam inviabilizar a mobilidade do Corredor.“A preservação dos nossos cursos d’água, garantindo segurança ambiental e de mobilidade urbana é uma preocupação desta gestão e a canalização e recuperação do Vaca Brava, nessa região da T-7, junto com as obras de reestruturação das calçadas, priorizando a acessibilidade, o corredor exclusivo e a ciclovia, atendem a todos os usuários do trajeto”, diz.

De acordo com o diretor de supervisão de obras públicas da Seinfra, Ramon Bernardo de Souza, as obras começaram há cerca de dez dias, com prazo de três meses para serem concluídas. “Estamos trabalhando para recuperar toda a erosão nas proximidades do bueiro e o objetivo é concluir em três meses, acabando com os alagamentos nessa altura da T-7”, afirmou.

Corredor da T-7
A obras do Corredor da T-7 começaram, em 2015, com previsão para ser concluído em março do próximo ano. Com recursos do Governo Federal, na ordem de R$ 30.475.085,25, o Corredor tem uma extensão de aproximadamente 10 km, atingindo mais de 12 bairros, em três regiões da Capital, compreendendo a Rua Dona Gercina Borges Teixeira, no Centro, passando pelas Avenidas Assis Chateubriand, T-7, C-4, C-12, C-17, Araxá e Avenida Belo Horizonte, até o Terminal das Bandeiras, na Vila União.

Com 35% das obras executadas, o projeto prevê a implantação de ciclovias no canteiro central, ciclofaixas no leito das vias e ciclorodas, também no leito das vias, onde carros também podem circular, na extensão que vai da Praça da Bíblia até o terminal Bandeiras.

O Corredor contará com um sistema semafórico inteligente que dará maior fluidez ao trânsito de pessoas e veículos, evitando congestionamentos, gerenciado pela Secretaria Municipal de Trânsito Transporte e Mobilidade (SMT) e pela Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico, Trabalho, Ciência e Tecnologia (SEDETEC).

De acordo com o engenheiro Carlos Alberto de Miranda, analista em Obras e Urbanismo da SMT, serão 37 cruzamentos em todo o corredor e a nova tecnologia será feita através de câmeras com a função de laço detector virtual, verificando a contagem de veículos e sua ocupação e todas as informações são enviadas para o controlador e do controlador para a central de semáforos, onde todos os verdes serão disponibilizados por essa central.

O técnico explica que “os semáforos inteligentes foram desenvolvidos visando uma locomoção urbana mais eficiente, em que o fluxo de veículos é detectado a 200 metros antes do semáforo e no momento em que o veículo passar pelo sensor os dados são enviados automaticamente para a controladora que, por sua vez, monitora os intervalos que o semáforo deve operar, oferecendo a melhor circulação, tanto de pedestres quanto de veículos”.