22/04/2019 – GOIÁS – Governo de Goiás diploma 38 servidores do I Curso de Intervenção Tática de 2019

Os diplomados irão atuar em todas as regionais do sistema prisional goiano

Portal Goiás

O Governo de Goiás, a Secretaria de Segurança Pública (SSP-GO) e a Diretoria-Geral de Administração Penitenciária (DGAP) realizaram na manhã desta segunda-feira, dia 22, no auditório da Faculdade Sul Americana (Fasam), a formatura de 38 servidores que concluíram o I Curso de Intervenção Tática (CIT) de 2019 do sistema prisional goiano. Os servidores, agora com capacitação específica, vão atuar nos presídios de todo o Estado, em situações que exijam maior qualificação para garantia da ordem e da segurança. Todas as regionais prisionais da DGAP passam a contar, a partir de então, com equipes do Grupo de Intervenções Táticas (GIT).

O diretor-geral da DGAP, coronel Wellington Urzêda, também em representação ao Governo de Goiás, agradeceu a presença de todos aqueles que estavam na solenidade e parabenizou os servidores que concluíram o I CIT de 2019. “Fico bastante satisfeito por termos um grupo tão bem selecionado e qualificado na DGAP para enfrentar situações adversas dentro do sistema prisional goiano. Quando o servidor doa suor, ele poupa sangue. Muitas vezes dos colegas e muitas vezes da própria população carcerária”, disse.

Urzêda enalteceu também trabalho do Grupo de Operações Penitenciárias Especiais (Gope) da instituição, responsável pelas instruções do CIT. “Rendo ao Gope meu respeito e a minha continência”, finalizou, ressaltando que ainda neste ano a DGAP realizará o 5º Curso de Operações Penitenciárias Especiais (Cope) em homenagem aos 10 anos do grupo instrutor do CIT.

As forças que compõem a Secretaria de Segurança Pública também foram lembradas durante o evento. O orador da turma de formandos, Erick Zenha, enalteceu cada uma delas em seu discurso e relembrou o esforço despendido por toda a turma para a conclusão do I CIT de 2019. “A fome, o sono, a saudade de casa e da família foram abstenções importantes, necessárias e passageiras para o bem nobre da missão para qual nos empenhamos” destacou Zenha. De acordo com o agente de segurança prisional, a turma está feliz pela conquista e por saber que, a partir de agora, poderá atender as necessidades, junto da administração penitenciária, quando solicitadas intervenções táticas de alto nível.

O gerente de Ensino da DGAP, Leandro Militão, chamou a atenção para o fato de que hoje o sistema penitenciário está recebendo 38 servidores comprometidos, guerreiros, altamente forjados para as competências de intervenção de complexidade. “Todos eles passaram dos seus limites. O curso testou as condições físicas e psicológicas de toda a turma e todos venceram, se mostraram capazes”, concluiu.

O curso
Durante 20 dias, além dos treinamentos coordenados pelos agentes de segurança prisional integrantes do Grupo de Operações Penitenciárias Especiais (Gope), os formandos participaram de aula com disciplinas diversas aplicadas pela Esap.

O coordenador do Gope, Fábio Júnior,também parabenizou os formando pelo envolvimento e dedicação que demonstraram com o curso. “É importante observar o quanto à administração penitenciária se mostra dedicada com a realização do CIT, na busca por excelência das ações táticas em intervenções em ambientes do cárcere.

Durante o período de curso, foram ministradas técnicas de intervenção prisional, defesa pessoal, uso e manutenção de armamento, escolta e uso de algemas, além de atividades físicas.

GIT
O Grupo de Intervenções Táticas foi criado em 2017, substituindo o Curso de Operações Regionais Especiais (Core), que já existia desde 2012, tendo inicialmente instalações no Entorno e Caldas Novas, 3 ª e 4ª Regionais Prisionais da DGAP.

O grupo passa, a partir de agora, a contar com equipe capacitada definitiva, responsável por dar apoio imediato ao Gope nas situações de alto risco enfrentadas nas unidades prisionais do Estado.

O modelo de ensino aplicado durante o CIT vai ao encontro das diretrizes da política do Governo de Goiás, que proporciona medidas ágeis, influenciando com maior rigor na manutenção da ordem e da disciplina dentro de unidades prisionais do Estado.