22/05/2020-Goiás-Notícia de Goiás – Medidas preventivas evitaram o colapso da rede hospitalar de Goiás

Desde o início da pandemia, o governador Ronaldo Caiado e os prefeitos dos municípios goianos adotaram diversas ações enérgicas e proativas pautadas em critérios científicos para frear a curva da disseminação da doença e evitar o colapso do sistema de saúde.
No dia 12 de março, o governador deu o primeiro passo nas estratégias e anunciou um plano de ação para acompanhar e prevenir o alastramento da infecção no Estado, com foco na segurança dos goianos.

Na sequência, vieram os decretos, estabelecendo a situação de emergência na saúde pública do Estado de Goiás pelo prazo de 180 dias e também o isolamento social. Com isso, foi decretada a suspensão de eventos estaduais e competições esportivas, a paralisação das aulas presenciais e a interrupção de atividades de shoppings e diversos outros estabelecimentos comerciais.

Essas medidas preventivas permitiram que Goiás se mante-se longe dos Estados que encabeçam o ranking de casos no País. O resultado positivo não por acaso, é consequência do isolamento social que chegou a quase 70% no mês de abril, graças a uma sequência de ações assertivas do governo.

Na mesma época, o presidente da Associação dos Municípios Adjacentes à Brasília (AMAB) e prefeito de Águas Lindas de Goiás, Hildo do Candango, encaminhou um ofício para ANTT para exigir que todos os passageiros do Entorno do DF fossem transportados sentados e ressaltou a fragilidade do sistema de saúde da região.

“Os municípios do Entorno do Distrito Federal é uma das regiões goianas mais vulneráveis socialmente e possui um sistema de saúde frágil. Como presidente da AMAB, representando todos os prefeitos e prefeitas da Região Metropolitana do Entorno do Distrito Federal encaminhei um ofício para ANTT (Agência Nacional de Transporte Terrestre) para proibir a diminuição da frota e exigir que todos os passageiros sejam transportados sentados no transporte semiurbano no Entorno de Brasília. É inaceitável que a população usufrua de um transporte inadequado e caro, e ainda tenha que se deparar com a superlotação dos ônibus, colocando em risco a saúde de toda população”, declarou.

O Governo de Goiás por meio da Secretaria de Estado de Saúde preparou a rede estadual para receber os pacientes diagnosticados com Covid-19. O primeiro hospital a ser exclusivamente dedicado para essa finalidade foi o Hospital do Servidor Público, unidade pertencente ao Instituto de Assistência dos Servidores do Estado de Goiás (Ipasgo), em Goiânia, com 222 leitos. Também estão sendo preparados outros sete hospitais de campanha, com quase 800 novos leitos distribuídos nos municípios de Anápolis, Águas Lindas, Formosa, Luziânia, Itumbiara, Jataí e Porangatu.

É importante ressaltar que todas decisões que são tomadas nos municípios goianos são baseadas em dados científicos e médicos, além das orientações da Organização Mundial de Saúde, do Ministério da Saúde e Secretaria de Estado de Saúde de Goiás.

Acompanhe mais informações nas redes sociais do prefeito Hildo do Candango.