24/11/2020-Goiás-Hemolabor promove ação especial no Dia Nacional do Doador de Sangue Voluntário

Além de celebrar a iniciativa dos doadores, data incentiva o ato, especialmente nessa época de pandemia e que antecede as férias, quando os bancos de sangue sofrem com a escassez de doações

Amanhã, 25 de novembro, quarta-feira, quando é celebrado o Dia Nacional do Doador de Sangue Voluntário, o Banco de Sangue Hemolabor receberá seus doadores com um dia especial parabenizando-os pelo seu ato, com lanche reforçado com cara de festa. As comemorações serão ainda estendidas até sexta-feira (27) com algumas surpresas em reconhecimento aos doadores que comparecerem ao banco nesses dias.

O intuito da data é, além de celebrar a iniciativa dos doadores voluntários, incentivar e conscientizar sobre a importância da doação, especialmente nessa época de pandemia, em que os bancos de sangue de todo o país perderam a frequência de doadores regulares e têm sofrido com a baixa em seus estoques. O período ainda antecede as férias, que naturalmente gera escassez do doador regular, que viaja ou não doa devido às festividades de final de ano. Além disso, regularmente dezembro e janeiro, meses de recessos e feriados, aumenta a demanda por sangue, devido ao maior número de acidentes nas estradas.

Entre os brasileiros, 59,52% são doadores voluntários, ou seja, doam espontaneamente regularmente, e os 40,48% restantes são doadores de reposição, aqueles que doam por razões pessoais, quando um amigo ou parente tem a necessidade de sangue. O diretor do Banco de Sangue Hemolabor, o hematologista Luis Henrique Gabriel, acredita que a falta de conscientização está entre os principais fatores para que o índice não seja ainda melhor, seguido por alguns mitos e medos e, especialmente este ano, o pânico causado pelo novo coronavírus.

“Durante toda a pandemia, tivemos uma queda expressiva de doadores que ficaram com receio de procurar o banco e realizar a doação de sangue, e nesta época das festas de final de ano, seguida das férias, a demanda por sangue aumenta muito devido ao maior número de acidentes graves, e é justamente o período em que temos menos doadores, por muitos não doarem por viajar ou mesmo estarem envolvidos com as festividades de final de ano”, avalia o hematologista.

Cuidados reforçados

Para evitar aglomerações, tendo em vista o aumento recente dos casos de Covid-19 no Estado, o Banco de sangue orienta que o doador faça o agendamento prévio da sua doação. A unidade tem tomado medidas para preservar a saúde do seu público, entre elas, a adoção de agenda que têm distribuído o fluxo de doadores, evitando aglomerações; gerenciamento de doadores por sala em todas as etapas da captação, mantendo os mesmos a uma distância de segurança; disponibilização de dispensers com álcool em gel em todos os ambientes; orientações aos público interno e externo sobre higienização das mãos e etiqueta para tosse e espirro; e uso de equipamentos de proteção individual (EPIs) pela equipe técnica.

“A demanda por sangue não diminuiu, por isso estamos chamando nossos doadores, lembrando da importância da doação. Queremos que nosso doador sinta-se seguro em estar nosso ambiente, para tanto estamos nos precavendo com várias medidas preventivas para resguardar a saúde do público e dos nossos colaboradores, que continuam atuando nos seus postos”, explica o diretor técnico do Banco de Sangue, Clemente Martins de Oliveira Neto.

Critérios para doar sangue:

Estar em boas condições de saúde;
Ter entre 16 e 69 anos, desde que a primeira doação tenha sido feita até 60 anos (menores de 18 anos, precisam de autorização);
Pesar no mínimo 50 kg;
Estar descansado (ter dormido pelo menos 6 horas nas últimas 24 horas);
Estar alimentado (evitar alimentação gordurosa nas 4 horas que antecedem a doação);
Apresentar documento com foto emitido por órgão oficial;
Os homens podem doar com um intervalo de 60 dias, e as mulheres, 90 dias. Eles podem doar quatro vezes ao ano, enquanto elas podem doar três vezes.

Quem não pode doar sangue?

Pessoas com malária ou sífilis;
Pessoas que tiveram hepatite ou Doença de Chagas;
Usuários de drogas que compartilham seringas injetáveis;
Homens e mulheres com múltiplos (as) parceiros (as) e que mantenham relações sexuais sem o uso de preservativo (camisinha);
Parceiros sexuais de pessoas infectadas pelo HIV ou enfermos soropositivos;
Pessoas com histórias prévias, recentes de doenças sexualmente transmissíveis;
Mulheres grávidas.

Banco de sangue Hemolabor