25/04/2019 – GOIÁS – Bombeiros enviados a Brumadinho retornam a Goiânia nesta quinta

“Cumpriram importante missão ”, afirma o governador

Secom – Governo de Goiás

Bombeiros e cães farejadores enviados pelo Governo de Goiás a Brumadinho, Minas Gerais, para prestar socorro às vítimas do rompimento da barragem da Vale, retornam a Goiás nesta quinta-feira, dia 25. “O trabalho realizado pelos nossos militares orgulha não só o Corpo de Bombeiros, mas o Estado de Goiás como um todo. Nossos bombeiros cumpriram uma importante missão em Brumadinho”, disse o governador Ronaldo Caiado em reconhecimento ao trabalho executado pelos goianos no Estado vizinho.

Um dia após o acidente, em 25 de janeiro, o governador e o comandante Geral do Corpo de Bombeiros de Goiás (CBMGO), coronel Dewislon Adelino Mateus, determinaram a ida de seis bombeiros e seis cães farejadores ao município do interior mineiro para ajudar nas buscas, equipe que retornou logo em seguida. Tempo depois, em março, a pedido de Minas Gerais, outras equipes goianas foram encaminhadas a Brumadinho, uma delas, formada por dois bombeiros e dois cães farejadores, volta para casa nesta quinta-feira, dia 25.

O governador tem dito, em diversas ocasiões, que o Corpo de Bombeiros de Goiás é um exemplo para todo Brasil e que o alto nível de comprometimento e capacitação constante são marcas registradas da corporação. “Quando acontece um acidente como o de Brumadinho, qual é a primeira equipe que chega para dar suporte? Os bombeiros militares de Goiás. Foi matéria no Brasil todo. E não parou por aí. O governo de Minas Gerais solicitou mais duas outras idas do nosso Corpo de Bombeiros à região de Brumadinho. Eles foram reconhecidos nacionalmente”, enfatizou.

Cães farejadores
À época do desastre, a cadela Vênus ficou conhecida em todo o Brasil por ter sido a que mais localizou vítimas, quatro no total. Participaram também das ações as cadelas Hana, Luna, Saori, Cristal e Bruma. Os cães de salvamento são capazes de fazer buscas de pessoas vivas ou mortas em áreas rurais, áreas deslizadas, estruturas colapsadas e possuem certificação internacional. Usando o faro, os cães podem fazer varreduras em territórios de 30 mil metros quadrados em apenas 20 minutos, o que consumiria aproximadamente 30 bombeiros executando uma busca em linha.

Vênus, que foi manchete em jornais de todo o País, “entende as operações como um grande parque de diversões e fica eufórica cada vez que encontra uma vítima. Ela sabe que está fazendo um bom trabalho”, explicou o cabo Vinícius Veloso, ao lembrar o envolvimento com as vítimas do acidente de Brumadinho. Os bombeiros goianos que formaram a equipe são especialistas no atendimento de ocorrências com vítimas desorientadas ou desaparecidas em matas, escombros, deslizamentos ou em água.

Equipes de socorro e salvamento
As equipes de socorro e salvamento que atuaram em Brumadinho somam mais de 250 bombeiros e 22 cães farejadores de Minas Gerais, Goiás, São Paulo, Espírito Santo, Rio de Janeiro e Santa Catarina. Segundo a Defesa Civil de Minas Gerais, foram 232 mortes confirmadas e 40 desaparecidos.

A barragem de rejeitos se rompeu e a lama destruiu o refeitório e o prédio da mineradora, e ainda pousadas, casas e a vegetação local. Além das mortes causadas, o tsunami de lama soterrou residências, pousadas e sítios, atingiu o rio Paraopeba (um dos afluentes do rio São Francisco), e provocou danos ambientais tão graves quanto os gerados pelo desastre de Mariana, ocorrido em 2015.