29/07/2019 – GOIÁS – SES e pediatras unidos pela saúde da criança goiana

Além de dois hospitais especializados, outras unidades da rede pública contam com atendimento pediátrico

Portal Goiás

Em Goiás, o dia do pediatra, celebrado no dia 27 de julho, teve mais um motivo para ser lembrado pela Secretaria da Saúde de Goiás (SES), pois desde abril o atendimento à saúde das crianças ganhou o reforço dos 55 novos leitos pediátricos no Hospital Estadual de Urgências da Região Noroeste de Goiânia Governador Otávio Lage de Siqueira (Hugol). A medida faz parte das ações para desafogar o Hospital Materno-Infantil (HMI), também em Goiânia, referência no atendimento de alta e média complexidade pediátrica e também da mulher. Mas o trabalho do pediatra é encontrado também em outras unidades de saúde da rede estadual, sempre de portas abertas para salvar vidas cheias de futuro.

Pela sua estrutura e especialização, Hugol e HMI acabam se destacando na rede estadual. O HMI, por exemplo, realiza atendimento de urgência, emergência e ambulatorial nas áreas de obstetrícia, gestação de alto risco, hemangiomas e linfohemangiomas, fissuras lábiopalatinas. O ambulatório de pediatria atende, por meio da regulação, pacientes encaminhados pelos municípios nas especialidades de hematologia, endocrinologia, gastroenterologia, nefrologia, cardiologia, ortopedia pediátrica, otorrinolaringologia, neurologia, adolescência e ambulatório de seguimento de prematuros nascidos no HMI.

A unidade dispõe de laboratório de análises clínicas e patológicas, e serviços de exames de imagem, como raio-X e ultrassonografia. Realiza todo tipo de cirurgias fisiológicas e de palato. O hospital conta com 22 leitos de pronto-socorro pediátrico, 22 na Unidade de Cuidados Intermediários Neonatal (Ucin); 15 na pediatria clínica, 10 na UTI pediatra e 10 na neonatal. A unidade atende, em média, 1,1 mil crianças no ambulatório de pediatria, mais 220 no Banco de Leite Humano, também referência na Rede Goiana de Bancos de Leite. À frente dessa estrutura estão 171 médicos pediatras e subespecialistas.

O Hospital de Urgências de Goiânia (Hugol), por sua vez, soma 20 leitos na UTI pediátrica e 60 na clínica de internação, atendendo crianças no perfil geral da unidade, vítimas de queimaduras e politraumatismos. De julho de 2015 a junho de 2019, foram mais de 18 mil atendimentos de Urgência e Emergência a crianças de até 12 anos incompletos.

Reabilitação e readaptação
Embora não conte com pediatras, mas neuropediatras e ortopedista pediátrico, o Centro Estadual de Reabilitação e Readaptação Dr Henrique Santillo (Crer) atendeu de janeiro a junho 1.374 consultas médicas ambulatoriais para crianças, sempre por meio da regulação. Conta ainda com equipe multiprofissional para atender, nas diversas especialidades, crianças e adolescentes em processo de reabilitação física e psicomotora.

Ainda em Goiânia, a SES assegura ao atendimento infantil, na área de Infectopediatria, também via regulação, no Hospital de Doenças Tropicais (HDT). A unidade dispõe de 11 leitos de enfermaria em pediatria e 4 de UTI pediátrica, dos quais 2 de isolamento. Os pediatras realizam uma média mensal de 192 atendimentos ambulatoriais, mais 70 de emergência, que resultam em 13 internações médias em UTI pediátrica e 45 na enfermaria.

No Hospital e Maternidade Nossa Senhora de Lourdes (HEMNSL), a criança recebe o primeiro atendimento ao nascer. A unidade oferece primordialmente assistência qualificada nas áreas de baixa complexidade em urgência e emergência em Ginecologia e Obstetrícia. Integrado ao HMI, o hospital conta com 39 leitos, dos quais 29 na obstetrícia e 10 da Unidade de Cuidados Intermediários Neonatal (Ucin).

Emergências infantis
Embora não conte com serviço de pediatria, o Hospital de Urgências de Goiânia (Hugo) não deixa de atender emergências infantis. Assim, os pacientes pediátricos que eventualmente dão entrada no hospital são atendidos, estabilizados e transferidos para outras unidades da rede estadual, por meio do complexo regulador do município de Goiânia. Da mesma forma ocorre com o Huapa, em Aparecida de Goiânia; e Huana, em Anápolis, onde o paciente de pediatria recebe o primeiro atendimento e é encaminhado ao Hugol ou ao HMI, conforme o caso.

No interior, mais três unidades realizam, pelo menos, o primeiro atendimento à criança. Em Santa Helena, na Região Sudoeste, o Hurso conta 18 leitos pediátricos – 10 deles de UTI. Foi no Hurso que a estudante de Rio Verde, Daniele Gouveia Anselmo, 20 anos, encontrou o primeiro atendimento para o filho Nicolas, então com 1 mês de idade. A criança, então com 1 mês de vida, tinha um grave problema no intestino e acabou transferido para o HMI, onde passou por cirurgia. Hoje, aos 5 anos, é acompanhado semestralmente na unidade da capital, mas leva uma vida normal (leia mais AQUI).

No Hospital Estadual de Jaraguá (Heja), os cinco leitos pediátricos recebem casos menos complexos, que não exijam transferência para as unidades de referência na rede estadual. O Heelj, de Pirenópolis, por sua vez, começa a desenhar sua linha de assistência infantil, e conta com pediatra no ambulatório e na enfermaria.

Em todas essas unidades, o objetivo é oferecer o melhor atendimento possível, confirmando o que afirmou a diretora técnica do HMI, Sara Gardênia, em entrevista especial ao site da SES, de que o pediatra é parceiro da mãe, na busca pela saúde da criança (leia a entrevista completa AQUI).