29/09/2020-Goiás-EMPREENDEDORISMO

1 a cada 3 jovens brasileiros já tem sua própria empresa

Até o ano passado o país tinha 8 milhões de empresários com idade de 18 a 24 anos; especialistas veem pandemia da Covid-19 impulsionando novos negócios em 2020

Goiânia, 29 de setembro de 2020 – Um a cada três jovens brasileiros de 18 a 24 anos tem sua própria empresa. Apesar da pouca idade, dos 23,9 milhões de habitantes dessa faixa etária que o país possuía em 2019, segundo o IBGE, 8 milhões deles já tocam o próprio negócio. É o que permite constatar a edição nacional do Monitor Global do Empreendedorismo (GEM, em inglês), estudo coordenado no Brasil pelo IBQP (Instituto Brasileiro da Qualidade e Produtividade) em parceria com o Sebrae (Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas).

Na última década, a proporção de jovens empreendedores no Brasil mais do que dobrou. Em 2009, no auge da crise econômica que chacoalhava o mundo na época, apenas 13,5% da juventude de 18 a 24 anos tirava seu salário trabalhando para si mesma. No ano passado, esse percentual já era de 31,5%, conforme os dados do GEM 2019.

A contadora Jakline Tolentino, que é escritora, empreendedora e especialista em análise de dados, acredita que a abertura de novas empresas deve se manter com números expressivos, segundo ela, também em 2020, apesar dos efeitos econômicos da pandemia da Covid-19. “Com a queda na renda em função do desemprego e até de acordos trabalhistas para cortes temporários nos salários, muitas pessoas se viram impelidas a buscar alternativas para compensar o orçamento familiar. E esse, na maioria dos casos, foi o estopim para ativar a atitude empreendedora de abrir e estruturar o próprio negócio para venda de produtos ou prestação de serviços”, analisa Jakline.

No 1º semestre do ano passado, Goiás registrou crescimento de 10,45% na abertura de empresas do tipo MEI (microempreendedor individual), fechando o ciclo com 297.984 empreendedores, conforme o Portal do Empreendedor, gerido pelo Sebrae. De janeiro a junho deste ano, o mesmo indicador cresceu num ritmo ligeiramente menor em relação a igual período de 2019 (9,91%), encerrando o 1º semestre com 360.479 MEIs ativos em Goiás.

O empreendedor Chaysther Lima capacita jovens que estão se preparando para iniciar sua carreira no mundo do empreendedorismo. Para ele, a consistência nas empresas abertas por novos empreendedores depende de um bom planejamento de negócios e do desenvolvimento de habilidades como inteligência emocional, disciplina, persistência e foco. “É preciso entender que, ao iniciar um negócio, ele dificilmente terá um ponto de equilíbrio imediato; é necessário ter paciência e persistência, pois isso pode levar meses ou até mesmo anos para obter lucros”, indica Chaysther.

Pesquisador em desenvolvimento pessoal na carreira, o jornalista Alysson Costa defende que a comunicação seja considerada pelos empresários como parte essencial para sobrevida das empresas. “Não dá para fugir da necessidade de fazer uma comunicação transparente, objetiva e construtiva da empresa com todos os entes da cadeira onde ela está inserida. Assim como o empreendedor precisa entender o universo dos impostos que a empresa tem de recolher, ele deve treinar a si próprio para comunicar com clareza e assertividade”, conclui Alysson.

Sucesso depende de treino

Jakline Tolentino, Chaysther Lima e Alysson Costa afirmam que empreendedores bem sucedidos estão sempre treinando suas próprias competências e as das suas equipes. Residindo em Goiás, os três são co-autores do livro O Sucesso é Treinável, que, em menos de quatro horas após seu lançamento, se tornou o título mais vendido no site da Amazon. O livro também esteve em 8º lugar no ranking da revista Veja, entre os mais vendidos na categoria autoajuda e esoterismo.

INFORMAÇÕES PARA A IMPRENSA

Campos Nogueira Comunicação: (62) 3637-8346

Jornalista responsável pela conta

Allan David: (62) 9 9361-1978