29/11/2019 – BRASIL- Caesb recebe representantes de Moçambique e do Uruguai para repassar experiências na área de saneamento ambiental

(Brasília, 29 de novembro de 2019) – Gestão operacional, controle de qualidade da água, gestão comercial, transferência de tecnologias diversas, micromedição e, sobretudo, sistema de esgoto condominial. Todos esses itens são temas de acordos de cooperação e parcerias de trabalho para troca de experiências no setor de saneamento entre a Companhia de Saneamento Ambiental do Distrito Federal (Caesb) e outras empresas do Brasil e do mundo.

CAESB

Entre 2010 e 2019, a Caesb firmou acordos com a Alemanha, Argentina, Sudão, Haiti, Nicarágua, Uruguai. A Caesb absorveu conhecimentos e serviu de referência para diversos projetos no Exterior e também no Brasil. Um dos exemplos é o acordos mais recentes ocorreu com o Serviço Autônomo de Água e Esgoto de Maués, no Amazonas, em que a Companhia contribuiu com capacitação gerencial e operacional, entre vários outros aspectos, para fortalecimento do operador de saneamento local, que presta  serviços para uma população de 60 mil pessoas. “Nossa intenção é ampliar o relacionamento institucional, obter reconhecimento, e desenvolver ferramentas para promover capacitação com nossa experiência”, explica o engenheiro Fuad Moura Guimarães Braga, superintendente de Projetos Especiais e Novos Negócios.

Nesta semana, a Caesb recebeu duas delegações estrangeiras: de Moçambique e Uruguai. A Delegação de Moçambique, formada por 16 pessoas, foi acompanhada por especialistas do Banco Mundial, no âmbito do Programa de cooperação sul-sul (SSKE), que busca a troca de práticas e conhecimentos sobre os aspectos técnicos, financeiros e institucionais de assuntos relacionados à gestão integrada de água urbana. A delegação visitou outros órgãos de Brasília e também outras cidades brasileiras. No caso da Caesb, seu interesse está voltado para procedimentos de planejamento, implantação e operação de sistemas de esgotamento sanitário, em especial o sistema de esgoto condominial.

“A visita técnica abre a mente das pessoas para soluções integradas”, resumiu Bonfje Zaengerling, especialista em desenvolvimento urbano do Banco Mundial, que acompanhava a delegação de Moçambique na visita às cidades brasileiras para ajudar, com cooperação técnica, a desenvolver o setor de saneamento da cidade de Beira.

Desde 1991, o sistema condominial de esgotos foi adotado pela Caesb com o objetivo de sanar o déficit no saneamento e apoiar o programa de assentamento habitacional do Governo do Distrito Federal. “Hoje, 52% das ligações existentes são no sistema condominial. É mais barato, mais rápido, com obras mais simples e com 100% de adesão da comunidade”, explica Maria Martinele, que coordena as Cooperações Técnicas. Para se ter uma ideia, um dos grandes problemas da atualidade, em todo o mundo, é a falta de efetividade de ligação no sistema de esgotamento sanitário tradicional. Depois de pronta a rede, em torno de 40% dos moradores não fazem a ligação de suas residências ao sistema.

O sistema condominial é um modelo de concepção que associa uma tecnologia simplificada e de baixo custo, com a participação da comunidade, promovendo o atendimento e a adesão ao sistema, de forma efetiva. O Sistema Condominial é o Padrão de atendimento da Caesb e, ao longo dos quase 30 anos de utilização, foi implantado em grande escala, em áreas carentes ou nobres da cidade, com um alto grau de aceitação e participação da comunidade.

Em 2014, uma equipe de 11 técnicos, de Moçambique e Zâmbia, acompanhadas por especialistas do Banco Mundial, já havia feito uma visita à Caesb, durante três dias, com objetivo de conhecer o sistema.

Uruguai

O modelo condominial de esgoto também era o interesse dos uruguaios. O Brasil mantém um Acordo Básico de Cooperação Técnica e Científica com o governo do Uruguai desde 1975. Em janeiro de 2018, o Ministério das Relações Exteriores, por meio da Agência Brasileira de Cooperação – ABC, solicitou a participação da Caesb no Acordo de Cooperação Sul-Sul, com objetivo de viabilizar a transferência da tecnologia condominial de esgotamento sanitário do Brasil para o Uruguai.

O governo uruguaio está desenvolvendo um programa de universalização do saneamento no país e tem como principal desafio o atendimento por sistema público de esgotamento sanitário, que hoje chega 59% dos lares. No Brasil, a média de cobertura é de 60%, sendo 73% dele tratado. Já no Distrito Federal, a Caesb coleta 89% dos esgotos e trata a totalidade deles antes de despejar nos corpos hídricos.

O Uruguai avaliou várias alternativas, considerando modelo de gestão, soluções técnicas e fatores socioculturais, e o modelo condominial de esgotos, já conhecido por técnicos do país vizinho em visita à Caesb em 2012, foi eleito como a melhor opção.

Durante esta visita à Caesb, os moçambicanos e uruguaios receberam ainda informações gerais sobre o sistema, incluindo a operação das redes, o funcionamento das estações, os tipos de tratamento e a estrutura de manutenção. As visitas realizadas pelas duas delegações, Moçambique e Uruguai, poderão resultar em novos acordos de cooperações técnicas.

Foto: Marco Peixoto/Caesb/Divulgação

 

Legenda: Especialistas da Caesb recebem técnicos de Moçambique e do Uruguai para receber informações sobre Sistema de Esgoto Condominial

 

Mais informações:

E-mail: ascom@caesb.df.gov.br

Telefone: 3213-7117//99113-0513//99119-9473

Assessora: Cristine Gentil